REVIEW: HOMEM DE FERRO 3

Imagem: Marvel Studios

Imagem: Marvel Studios

“O milionário excêntrico, convencido, arrogante, cómico e amoroso voltou e não desiludiu. “Sou um homem numa lata”, diz Tony Stark num momento em que sente mais do que consegue expressar, em que exige mais do que consegue alcançar. Coloca-se a questão, é a “lata” que faz o homem ou é o homem que faz a “lata”? Nos últimos anos temos visto os super-heróis das comics mais humanizados – o que para uns é um ponto negativo – para mim só torna o espectador mais próximo das personagens fantasiadas. E qual a melhor forma de humanizar esta personagem? Tirando Tony da armadura que o protege, deixando-o mais vulnerável e dependente de outros, mas não se deixem enganar, porque a inteligência e determinação não desaparecem. Pepper Potts  com a sua calma e doçura, continua a ser a “luz” e a chamada para a realidade no mundo das máquinas. O único senão, foi ter-me sentido ludibriada com o vilão Mandarim, a personagem fugiu completamente ao que eu esperava, por isso optei por “arrumá-la” a canto para apreciar o resto da história. Esta foi uma despedida ao Homem de Ferro e penso que não podia terminar de outra forma. Acaba-se um ciclo, e inicia-se outro. “Tony Stark will return…” se forem verdadeiros fãs e esperarem até ao final dos créditos. Dou 4 pipocas e meia, em 5 :)” – Helena Rodrigues