Review: Velocidade Furiosa 6

Imagem: Universal Pictures

Imagem: Universal Pictures

“O argumento, como não poderia deixar de ser, segue a linha a que a saga nos tem habituado. O “renascimento” de Letty está em causa, Toretto e Brian estão de regresso. Desde que fizeram o golpe no Rio de Janeiro, que rendeu 100 milhões de dólares à equipa, o grupo espalhou-se pelo globo, mas a impossibilidade de voltarem a casa e estarem sempre em fuga deixou-lhes uma vida incompleta. Contudo, Dom e Brian reformaram-se da vida do crime, até que surge Hobbs (The Rock) com uma proposta. Ele tem perseguido por 12 países uma organização de condutores mercenários, cujo líder, Shaw, conta com um violento braço direito que se descobre ser o amor que Dom pensou que tinha morrido, Letty (Michelle Rodriguez). A única forma de parar esta máquina criminosa é então vencê-los nas ruas, por isso Hobbs pede a Dom para reunir a sua equipa de elite em Londres. Nos créditos finais o realizador teve uma fantástica ideia de colocar um “cheirinho” do que irá acontecer no próximo Velocidade Furiosa, teve a perícia de aproveitar o Tokio Drift, que foi o filme menos conseguido para relançar a história fazendo a sequência a partir do 6. O vilão do próximo filme vai dar que falar e penso que será muito interessante . Ansioso pelo próximo filme da saga.” – André Gomes