Review: O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Imagem: France 3 Cinéma

Imagem: France 3 Cinéma

“Amélie Poulain, uma jovem parisiense recatada e tímida, foi educada pelos pais, com poucos contactos com o mundo exterior. Com vinte e poucos anos, Amélie trabalha num pequeno café e mora num apartamento antigo, onde encontra uma caixa escondida há mais de 40 anos. Ao procurar o dono, virá a descobrir a satisfação de trazer a alegria aos outros. Numa estação de comboios depara com o hábito peculiar de um jovem, que colecciona fotos tipo passe mandadas fora, frequentemente rasgadas, por utilizadores de uma máquina automática. Ficando aquela imagem visual do local que é visitado. A acção decorre em Paris, num tempo recente (1997, por altura da morte da princesa Diana). Mas será nas personagens onde mais facilmente encontramos pontos de contacto com as anteriores obras de Jeunet-Caro, porquanto, uma vez mais, estamos perante um grupo deveras peculiar de indivíduos, como o coleccionador de fotos rejeitadas ou o amante abandonado e neurótico que persegue a ex-namorada e dita todos os seus movimentos “suspeitos” para um gravador de bolso. A bipolarização entre o real e o irreal, entre o tempo presente e o passado e – porque não? – o analógico e o digital, pode ser extraída do “tratamento” com o gnomo de jardim. Um filme muito bom com uma óptima banda sonora. ” – André Gomes