Review: O Grande Peixe

PRA_ASSISTIR_BIG_FISH1“Esta é a história mirabolástica de Edward Bloom. Um contador de histórias nato. Que contou histórias toda a sua vida. É difícil para o seu filho Will entender o pai e conhecê-lo verdadeiramente quando tudo o que sai da sua boca é a mais pura fantasia. Porque é que o pai inventa tanta coisa absurda? Situações impensáveis e completamente irreais? Ao longo do filme conhecemos a história de Edward Bloom desde o dia em que nasceu, até se tornar o ídolo da sua terra, até conhecer a mulher da sua vida, até ter um fillho e espalhar o bem pelas pessoas que conhece ao longo da sua jornada; e ao mesmo tempo, retornamos ao presente, à realidade que todos conhecemos, onde Will o seu filho, procura sentir uma ligação mais forte com o pai antes que essa oportunidade fique perdida para sempre. Ora, um filme do Tim Burton nunca poderia ser banal, e O Grande Peixe não o é, mas ao mesmo tempo… é a história mais comum entre todos nós. Quem não gostaria de ver o mundo com outros olhos? Vê-lo numa forma fantástica e criativa? Hoje em dia, se olharmos em redor, poucos são aqueles que fantasiam, sonham, imaginam e recriam. Edward Bloom recria um mundo diferente, um mundo mais interessante a partir da realidade. É difícil não sentir carinho e afeição pela sua personagem. Ewan Mcgregor faz uma interpretação perfeitamente convincente como Edward Bloom jovem e Albert Finney dá o remate perfeito ao Edward Bloom já no final da sua vida. Aqui fica uma sugestão para aqueles que conseguem ver mais do que preto e branco, e que ainda têm dentro de si a vontade de visitar “o mundo da lua”,  porque é saudável deixarmos a nossa mente vaguear de vez em quando…” – Helena Rodrigues