Review: O Maquinista

images

Crítica por: André Gomes

“O Maquinista consegue criar um clima de paranóia que obviamente deixaria Hitchcock e Polanski orgulhosos. Não é à toa que o filme tenha referências ao trabalho de ambos. As cenas com as manias e obsessões e principalmente o clima claustrofóbico do apartamento do protagonista nos traz lembranças dos suspenses de apartamento de Polanski. O filme também tem aquela fixação de sempre mostrar um momento que o personagem já presenciou, como as horas que se encontram no relógio serem sempre as mesmas ou a estrada com dois caminhos. Isso leva o espectador a querer juntar as peças e chegar ao final do filme antes que ele termine. Em tons frios e desfalecidos e com uma iluminação expressionista a dar bastante ênfase a essa paranóia da personagem. O Maquinista é um excelente filme para se ver e rever, destacando o excelente trabalho de Christian Bale, que na minha opinião fez um papelão, talvez o melhor, o que é complicado porque em todos os filmes que entra não deixa ficar mal, mas neste filme superou, lembro que, para este filme Christian Bale teve que perder 20 kg.”