Review: Detenção de Risco

Detenção de RiscoCrítica por: Helena Rodrigues

“Esta foi das poucas vezes em que me aventurei a ver um filme sem saber absolutamente nada sobre o enredo, apenas conhecendo os dois actores protagonistas e ainda assim, nenhum dos dois me inspirava muita confiança, mas um colega só me disse “O filme é bom”, e eu confiando no seu discernimento, arrisquei, e fiz eu muito bem!

Detenção de Risco (Safe House) começa com a personagem de Ryan Reynolds num trabalho entediante de se encarregar de uma casa-forte ou casa segura, se preferirem. As suas tarefas consistem em atender telefones, vigiar câmaras e pouco mais – isto no caso de não surgir nenhum “hóspede” especial – o que acontece, finalmente.
A personagem de Denzel Washington é detida e transportada para essa casa segura e a partir daí a acção não pára. A sério. Os únicos momentos parados que existem são perfeitos para respirarmos um pouco até outra perseguição ou outro momento de tensão surgir. O argumento e o tipo de cenários fez-me lembrar constantemente os filmes de Bourne (que não têm comparação, é claro!), no entanto, é refrescante, porque as cenas de luta são bem conseguidas, o trama é bem pensado, toda a teoria da conspiração se alinha com o género em si.
Apesar de não ser fã de Reynolds e de me ter decepcionado com os últimos filmes de Washington, achei que neste caso faziam uma boa parelha, se bem que Reynolds esteve bem melhor que o actor veterano, a meu ver. Para além de ser mais convincente foi agradável vê-lo noutro registo longe das comédias românticas e confesso que agarrou bem este testemunho. Quanto ao Denzel, só posso acrescentar que foi “mais do mesmo”, como tem sido nos últimos anos.
Enfim, um bom filme de acção. Não que traga nada de novo ou de revelador por aí além, mas ainda assim uma boa surpresa, para quem poucas ou nenhumas expectativas tinha. Recomendo!”