Review: Don Jon

don jonCrítica por: João Loff

“Joseph Gordon-Levitt lança-se à empreitada, escrevendo e realizando o seu primeiro filme, sobre um estereótipo masculino: frequentador de ginásio, engatatão nocturno, o típico “alpha male”. O único twist é que “Don” Jon, tão invejado pelos amigos e tão apetecível para as mulheres é viciado em pornografia, de tal forma que a prefere a tudo o resto, mesmo que vá “picando o ponto” a cada saída na discoteca. Esta rotina atípica é retratada de forma hilariante, através da repetição de sequências, explorando o que acontece quando a mesma é finalmente quebrada. Seria desde já magnífico ver Gordon Levitt a vestir a pele de, sem ter um termo mais adequado, um bimbo italo-americano típico. Mas ver Scarlett Johansson, uma das maiores sex symbols do planeta, a desempenhar o papel de miúda superficial com sentido de moda questionável não tem preço. Pelo meio podemos ver o mítico Tony Danza no papel de patriarca de eternas mangas cavas, entre outros secundários fantásticos que dão alma a um filme hilariante e descomprometido que nunca perde o gás. Não haja dúvidas – o casting e a leveza geral da abordagem aqui fazem toda a diferença em relação a material que facilmente poderia tornar-se totalmente banal. Uma bela surpresa.”