Review: X-Men: Dias de um Futuro Esquecido

20140404-x-men-dias-de-um-futuro-esquecido-cartaz-01-615x894

 

Crítica por: André Gomes

“X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido” é passado em dois espaços temporais diferentes. A  ação decorre entre um futuro devastado em que os mutantes e os super-heróis foram quase todos eliminados, e o presente, onde os heróis tentam evitar um evento que provocará esse amanhã muito negro.
No filme, a acção decorre no ano de 1973, com os actores de “X-Men: First Class” (e a participação do presidente norte-americano Richard Nixon), e num futuro próximo, com os intérpretes da primeira trilogia.
Os efeitos especiais são de topo e a escala do filme é grandiosa, fazendo-se notar que a ambição era enorme. Os jovens actores que fazem de Professor Xavier, Magneto e Mystic continuam tão fascinantes como em “X-Men: First Class” e a introdução de Wolverine na sua dinâmica relacional complicada origina alguns momentos cómicos bem executados.
QuickSilver revela-se uma adição acertada ao conjunto de heróis. Opinião pessoal, também gostaria de ver o Gambit, mas por um lado até entendo que não o tenham introduzido, porque irá haver um filme sobre ele em breve.
O professor Xavier é um mutante “génio”, com poderes de telepatia e como o mais poderoso telepata da Terra, Charles Xavier assistiu à espécie mutante ser caçada. Agora, chegou a hora de liderar os X-Men na sua maior batalha – tanto no presente, como no futuro. Aprovo e recomendo.”

VER TRAILER