Review: Planeta dos Macacos – A Origem

rise-of-planet-of-the-apes-4

Crítica por Helena Rodrigues:

O filme “Planeta dos Macacos” com assinatura de Tim Burton no ano de 2001 ficou arrumado a um quanto. Vamos esquecer aquelas viagens no tempo numa nave espacial que terminavam num planeta onde a raça humana estava à beira da extinção. Vamos antes voltar ao início, às origens, e à premeditação de uma catástrofe que poderia efectivamente levar à nossa extinção.

Em “Planeta dos Macacos: A Origem” eu estava céptica, e por engano, julguei que este novo filme poderia estar de alguma forma ligado ao de Tim Burton, mas felizmente as semelhanças eram bastante divergentes. Em primeiro lugar, devo elogiar James Franco, que apesar de estar habituada a vê-lo em papéis menos sérios e pouco convincentes, aqui surpreendeu-me bastante pela positiva. Mas claro, o foco não está nele, está no seu “irmão” César. Um macaco dotado de um Q.I estrondoso causado por testes laboratoriais na tentativa de curar a doença de Alzheimer.

Mas esta história não retrata apenas um macaco super inteligente. Esta história é sobre um macaco que sempre se considerou humano, e claro, como qualquer ser humano que cresce e evolui, ele começa a questionar a sua aparência e o seu estatuto. O argumento retrata na perfeição o momento em que César se vê no meio dos da sua espécie. Ele, um ser civilizado e educado, chocado com os instintos animalescos e impulsivos dos outros macacos. É impressionante como nesse momento nos lembramos que César não é uma pessoa, todo aquele tumulto de gritos e agressividade que o rodeiam é o normal no mundo da sua espécie, e aí ficamos confusos, sem saber bem aonde ele pertence e aonde queremos que ele pertença.

O filme relembra-nos que a evolução tem o seu quê de bom e de perigoso, que há a evolução natural das coisas, e a evolução que é provocada, não nos dando tempo para nos adaptarmos a ela ou a compreendermos. Sem dúvida um filme, que apesar de “Hollywoodesco”, deixa uma mensagem e uma marca no público e por isso mesmo estarei presente no filme que se segue “Planeta dos Macacos: A Revolta”.