Review: Noé

noah

 

Crítica por: Helena Rodrigues

“Quem tinha uma boa impressão de Noé, pode tirar o cavalinho da chuva. Esta nova versão baseada na história bíblica descreve um Noé tão fiel à sua fé, ao seu Amo que ele próprio fica cego no modo como age para fazer cumprir a dita, vontade de Deus.

O filme é longo, e por vezes muito parado, é preciso ter vontade e espírito para acompanhar a história. Não sendo propriamente fã de Russel Crowe, devo dizer que ele foi o actor certo para o papel. E Noé, não é uma personagem fácil de interpretar. Há que admirar a sua fé e devoção, pois  a maneira como aceita ser o Escolhido para dar início à sua missão, seria um peso negro sobre qualquer um.

O que podemos retirar de Noé? Aprendemos que seguir as ordens de um Deus tanto nos pode tornar fortes, como meros fracos. O ser humano é fraco. O ser humano sente. Sente todas as emoções do mundo, sejam elas más ou boas. A fé de Noé leva-o a tomar decisões que acabamos por considerar questionáveis. Ele próprio admite que falha. Ele representa-nos a todos. Até onde estamos dispostos a ir? O que estamos dispostos a sacrificar? Devemos renegar aquilo que nos é intrínseco, o livre-arbítrio, a livre vontade?

Foram-nos dadas centenas de oportunidades para nos tornarmos melhores. Somos capazes de construir um mundo perfeito? Não. Mas somos capazes de construir pessoas melhores.”

 

VER TRAILER