Review: Ruby Sparks

ruby_sparks_xlg

 

Crítica por: Mónica Rodrigues

“Rudy Sparks” conta a história de um jovem escritor, Calvin, que iniciou a sua carreira com um enorme sucesso e agora vê-se “preso” ao medo de toda a expectativa que foi construída em torno de si e de uma nova publicação. Assim, sofre um bloqueio criativo e fecha-se no seu mundo. Até que um dia tem uma visão de uma nova personagem, Ruby Sparks, e esta passa a ser toda a sua inspiração, levando-o a voltar a escrever freneticamente, ao ponto de Calvin se apaixonar por esta mulher que ele próprio criou na sua mente. E eis que um dia, Calvin acorda e a personagem do seu livro ganhou vida…

Este é o mote de partida para este filme, que a meu ver, tinha muito para ser bom. Considero que se ficou pelo “mediano”. Não que não tenha gostado, mas acabei o filme com a sensação de “não sei se gostei disto ou não”, não me encheu as medidas. Considero que ao longo do filme a história tornou-se previsível, cliché e senti que estava apenas a ver mais um filme de “sábado à tarde”.
No entanto, ao mesmo tempo, não deixa de ser um filme agradável, onde é possível retirar algumas lições de moralidade lá pelo meio, com alguns momentos de humor característicos de uma comédia romântica. No fundo sentimos alguma empatia por Calvin e pelas suas lutas interiores e sociais, e considero que o actor Paul Dano enquadra-se muito bem neste personagem, tornando-o mais credível.
Portanto, convido-vos a ver o filme e a tirar as vossas próprias conclusões,
uma vez que a mim não me deixou marca.”