Review: A Golpada Americana

golpada

 

Crítica por: Helena Rodrigues

“Fui avisada por mais que uma pessoa que o filme era muito parado, e como tal, julguei que ia ser uma verdadeira seca. Sim, o filme não tem perseguições, explosões ou cenas de luta esgotantes, mas é uma boa história com princípio meio e fim. O título diz tudo: uma golpada.

Christian Bale e Amy Adams são o casal de “golpeiros”, se me permitem usar a expressão. O amor entre eles é verdadeiro, e a paixão pelo que fazem não fica atrás. Vivem a vida a enganar os outros, e é assim que vão construindo o seu “reino”, o seu mundo, chegam a convencer o espectador que aquilo que fazem é divertido. Mas quando um dos planos corre mal e são apanhados pela personagem de Bradley Cooper, as mesas de jogo viram.

Dá-se início à dita “golpada americana”, em que um polícia com sede de ambição e protagonismo se deixa deslumbrar pelo mundo dos trapaceiros, fazendo de tudo para apanhar os mais corruptos da cidade e com isso, subir ele ao pedestal.

No meio de uma época cheia de “glamour” quem se destaca é sem dúvida alguma Amy Adams. A actriz domina todo o enredo, é impossível não tirar os olhos dela, segui-la, apoiá-la e acreditar nela. É ela quem controla o esquema e quem orienta a personagem de Bale, que embora, aparente ser um nome invisível, subtil, discreto e alguém que não se destaca na trama…acaba por ser exactamente o contrário. Acho que ele foi um “mestre” na arte de se camuflar ao longo da história, querendo que nos esquecêssemos dele por momentos…

Mas a verdade, é que é na ilusão, no disfarce, na dissumalação que se esconde o verdadeiro golpe. Não esperem um final bombástico, mas um final bem feito, onde todos os pontos se ligam entre si, fazem sentido e saímos do filme satisfeitos.”