Review: Burnt:À Procura de uma Estrela

Vindo de uma família que pouco conforto lhe deu em criança, Adam Jones direccionou toda a sua paixão, atenção e carinho para a comida acabando por se tornar um dos melhores chefs da época, sendo aclamado e admirado por muitos.
A progressão veloz na carreira envolveu-o nas influências fáceis da droga e do sexo, acabando por perder o foco e arruinando o seu nome. O filme começa na cidade de Londres dois anos após a sua reabilitação. Adam mostra determinação em voltar a dominar a cozinha para obter a terceira estrela Michelin que ficou perdida pelo caminho.

As primeiras imagens do filme tornam-se cativantes e banda sonora dá uma ajudinha. O ritmo é bom, não é apressado nem vagaroso, tem o ritmo certo para podermos degustá-lo com calma e atenção. A história em si não é complexa e chega a ser previsível nalguns pontos narrativos, mas Bradley Cooper consegue criar um “Adam Jones” que nos hipnotiza com o seus conhecimentos e dedicação culinária.
Mas não basta passarmos o filme inteiro a presenciar a confecção de pratos gourmet,
é preciso haver algum sentido de descoberta e isso acontece através da sua personagem que se vai revelando a cada camada. Jones é confiante, arrogante, exigente e ingénuo. Combinando todos estes ingredientes obtemos um “tipo porreiro” e por quem acabamos por torcer.

clip_burnt_1029_horizburnt-bradley-cooper-fr-670

Posso até arriscar-me a dizer que o filme é apenas sobre “Adam Jones” e a sua caminhada, desde o fundo do poço até a um lugar de satisfação pessoal. Na realidade, algo que pode muito bem ser aplicado a qualquer um de nós.

Daniel Bruhl, Sienna Miller, Emma Thompson e Matthew Rhys fazem parte do elenco e cada um deles tem o objectivo de mostrar que ninguém consegue subir até ao topo sozinho, ninguém consegue ser tudo aquilo que ambiciona sozinho. Dentro da cozinha não existe apenas o “eu”, não existe apenas o chef… são vários elementos que compõem o prato principal.

VER TRAILER