Review: Triple 9

 

Crítica por: Helena Rodrigues

“O trailer de Triple 9 prometia… Com um elenco de fazer erguer o sobrolho: Chiwetel Ejiofor (12 Anos Escravo), Casey Affleck (Out of The Furnace), Anthony Mackie ( Capitão América: Guerra Civil), Kate Winslet ( Steve Jobs), Aaron Paul, Woody Harrelson…

O filme começa de forma cativante com um assalto a um banco. Vemos o grupo armado, a invadir o espaço, a assustar, a controlar o espaço, a roubar algo específico e a conseguir fugir à polícia. O que prometia ser um filme de suspense e tensão dentro do género de “assalto”, acaba por ser uma narrativa aborrecida em que não conseguimos sentir empatia por nenhuma das personagens.

Ok, ficamos a saber que os criminosos são polícias corruptos, mas como isso é desvendado no início do filme ficamos sem o ponto de suspense nº 1. Depois, o sobrinho do Chefe da Polícia chega à esquadra para o seu primeiro dia de trabalho e um dos polícias corruptos será seu parceiro (Dia de Treino?)… mas e depois?

É criado um plano arrojado (que podia ter sido uma mais valia para o argumento, o momento de ouro, só que não…) para conseguirem completar o último “trabalho” que lhes é exigido e que lhes vai valer muito dinheiro, e o sobrinho do Chefe da Polícia será usado como isco. E é aqui que o talento de Casey Affleck se perde, se é que alguma vez chega a aparecer, não por culpa dele, suponho. Culpa de quem estava nas rédeas desta produção.

A trama vai acontecendo, é um facto, mas não da forma ideal que nos deixe curiosos e atentos ao ecrã. Todas as personagens são uni-dimensionais. Existe falta de imaginação para um plano final, que apesar de ter corrido extremamente mal, podia ter criado em nós algumas expectativas, dúvidas ou desconfianças.

Todos os grandes actores aqui presentes, estão noutro lugar qualquer. Não se transformam nem criam ligação connosco. São meras personagens em papel que se juntaram para fazer um filme, bastante previsível até. Kate Winslet, talvez num dos seus papéis piorzitos e Gal Gadot aparece só para ser uma mulher bonita a “encher chouriços”, espero que mostre o seu valor no filme “Wonder Woman”.

De todos, talvez Woody Harrelson tenha conseguido transparecer um “anti-herói”, repleto de defeitos e maus hábitos que no seu íntimo ainda quer salvar a honra da Polícia. E quem sabe, talvez a honra deste filme.

(Psst: Vejam o Sicario que é bem melhor!)

VER TRAILER