Review: Eddie, a Águia

Crítica por: Helena Rodrigues

“Se este pode ser considerado um filme de sábado à tarde? SIM! Se o filme é bom? SIM!

Taron Egerton, que devem conhecer do filme Kingsman: Serviços Secretos interpreta o papel do britânico Eddie Edwards, um atleta que ficou famoso no ano de 1988 nos Jogos Olímpicos de Inverno nas competições de salto de ski.
Desde pequeno que Eddie sonhava em participar nos Jogos Olímpicos e não seria um problema nos joelhos que iria impedi-lo de continuar a sonhar. Apesar do constante apoio da mãe e da constante negação do pai, Eddie consegue entrar na competição de salto de ski nos jogos de Inverno e muito embora não seja o preferido entre os atletas de elite, a sua perseverança leva-o muito mais longe do que ele podia imaginar.

eddie

Taron Egerton já tinha revelado o seu talento ao lado de Colin Firth no filme dos espiões e nesta nova aventura na neve ele não desilude, muito pelo contrário. Fiquei impressionada com a dedicação do actor que adopta as mesmas expressões e singularidades do verdadeiro Eddie Edwards, entregando-se em pleno a uma personalidade humilde, cómica e há que dizer… adorável. A seu lado tem o apoio de Hugh Jackman, o típico ex-atleta que se mostra hesitante em treiná-lo, mas que acaba por ser conquistado. Quanto a Jackman não há muito a dizer, a sua personagem é bastante semelhante a tantas outras, completanto um arco banal, mas Egerton é sem dúvida uma pequena caixa de surpresas.

Um filme que retrata a perseverança, a coragem e ambição sempre em doses modestas e inspiradoras. Eddie é um homem que parece ter tomado o elixir do positivismo e não há quem o demova dos seus sonhos. Uma história bem-disposta e que nos faz sorrir. No final, as imagens do atleta recordam-nos que se tratou de uma história real, tornando impossível não querer voar ao lado da “Águia”.

VER TRAILER