Review: A Bela e o Monstro

Para quem não conhece a história, tudo começa com um príncipe que foi criado sozinho pelo pai após a morte da mãe, tornando-se uma pessoa convencida, arrogante e má, que não amava ninguém sem ser ele mesmo. Um dia, ao ser visitado por uma feiticeira, ela condenou-o a ele e a todos os que viviam no castelo. Ele foi transformado num monstro, e tal como ele, todos os habitantes do castelo só voltariam a ser normais quando ele conseguisse fazer com que alguém o amasse.

Assim que esta nova versão chegou aos cinemas as críticas começaram a cair e eram “bombásticas”, todos estavam a adorar, as pessoas choravam, era maravilhoso! Bem, o filme está visto e aqui fica a minha opinião:

Desde o trailer que eu sentira uma enorme vontade de vê-lo, talvez por notar que foi dada bastante atenção aos detalhes de um filme de animação clássico que marcou a minha infãncia, sendo até, um dos meus filmes preferidos da Disney. As músicas e interpretações das mesmas, maravilhosas. Principalmente o duo de Gaston e Lefou; dei por mim a trautear as melodias como se não tivesse ficado sem ouvi-las durante anos. É de louvar também a música “Be Our Guest”, que também conseguiu captar na perfeição um dos grandes clássicos da música Disney.

Música e danças à parte, os objetos da Madame Potts, do Chip, do Lumiére e do Relógio Clocksworth não conseguiram criar em mim aquela empatia e/ou simpatia desejada. Na versão animada lembro-me dos sorrisos deles e das expressões nos olhares que conseguiam transmitir muito mais emoção do que estas versões de objetos reais/CGI.

BeautyBeast3D

Ó para eles tão fofinhos!

Outra personagem da qual senti uma certa distância foi a do Monstro. Ao longo de todo o filme bem que tentei encontrar o actor Dan Stevens ali algures, mas era difícil! Seria nos olhos? Seria nas bochechas peludas? Seria na voz, que estava tão modificada, que nem conseguia reconhecer o seu timbre?…

Quanto a Belle, recordo-me de ela ser muito mais arisca e rebelde na versão animada, infelizmente a versão de Emma Watson tornou-a um pouco… sem sal.

beauty-and-the-beast

Resumindo, para mim, ganham as interpretações de Luke Evans e Josh Gad como Gaston e Lefou, os que mais se aproximaram da versão original.. (Não sei, talvez seja mais fácil ser-se o vilão da história).

Um bom remake, mas não tenho vontade de vê-lo novamente.

Podem ler a outra review de “A Bela e o Monstro” por André Gomes aqui.

Anúncios